Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > 1960 - 1953
Início do conteúdo da página

1960 a 1953

Publicado: Segunda, 01 de Dezembro de 2014, 14h28 | Acessos: 2102
Pedro Paulo Penido

Pedro Paulo Penido

01/08/60 a 31/12/60

Nasceu em Belo Horizonte (MG), no dia 29 de julho de 1904. Em 1924, diplomou-se em Odontologia pela Faculdade Livre de Odontologia e Farmácia. Em julho de 1960, no governo Kubitschek, foi nomeado ministro da Educação e Cultura em substituição a Clóvis Salgado. Em agosto seguinte foi nomeado também ministro interino da Saúde, substituindo Mário Pinotti. Em dezembro, com a nomeação em caráter interino de Armando Falcão para o Ministério da Saúde, afastou-se do órgão.

Mário Pinotti

Mário Pinotti

03/07/58 a 31/07/60

Nasceu em Brotas (SP), no dia 21 de março de 1894. Formou-se em 1914 pela Escola de Farmácia de Ouro Preto (MG) e, em 1918, pela Faculdade Nacional de Medicina no Rio de Janeiro. Iniciou a carreira de médico sanitarista em 1919, ao se tornar inspetor sanitário rural do Departamento Nacional de Saúde Pública. Durante o segundo governo de Getúlio Vargas, ocorreu o desmembramento do Ministério da Saúde, até então vinculado à pasta da Educação. Pinotti foi ministro da Saúde em dois momentos distintos. Na primeira oportunidade, foi indicado por Vargas. Em seu discurso de posse, enfatizou a necessidade da criação da Escola de Saúde Pública. Na gestão do presidente João Café Filho, que assumiu a presidência após o suicídio de Vargas, Pinotti permaneceu no cargo até setembro de 1954. Anos mais tarde, Mário Pinotti foi convidado, novamente, para ser ministro da Saúde, em substituição a Maurício de Medeiros, em 03 de julho de 1958. Foi ainda indicado para o Prêmio Nobel de Medicina como médico sanitarista. Na segunda vez como ministro da Saúde, de 1958 a 1960, foi substituído por Pedro Paulo Penido.

Maurício Campos de Medeiros

Maurício Campos de Medeiros

21/11/55 a 02/07/58

Nasceu no Rio de Janeiro, em 14 de julho de 1885. Diplomou-se em Farmácia pela Faculdade de Medicina em 1903 e, em 1906, concluiu o curso de Medicina. Em 19 de novembro de 1955 foi nomeado ministro da Saúde pelo presidente Nereu Ramos. Foi mantido no cargo pelo presidente Juscelino Kubitschek, sendo designado, em março de 1958 para integrar uma comissão encarregada de coordenar o auxílio à região Nordeste, que sofria os efeitos de uma seca de grandes proporções. Deixou a pasta da Saúde em 03 de julho de 1958, sendo substituído por Mário Pinotti. Deixou diversas obras publicadas, principalmente sobre temas médicos.

Aramis Taborda de Athayde

Aramis Taborda de Athayde

05/09/54 a 20/11/55

Nasceu em Curitiba (PR), no dia 12 de dezembro de 1900. Em 1924 diplomou-se pela Faculdade de Medicina do Paraná. Em outubro de 1950, reelegeu-se deputado federal pelo PSD, licenciando-se, entre 1951 e 1954, para ocupar as pastas do Interior e Justiça e de Educação e Saúde do Paraná. Reassumiu o mandato em 1954, após o suicídio do presidente Getúlio Vargas em agosto daquele ano. Foi convidado para o cargo de ministro da Saúde, em substituição a Mário Pinotti. Fundou o Hospital da Cruz Vermelha no seu estado, dirigindo-o por vários anos, e foi um dos restauradores da Santa Casa de Misericórdia paranaense. Participou também de diversos congressos médicos no Brasil e foi membro de associações médicas do Paraná e do Rio de Janeiro.

Mário Pinotti

Mário Pinotti

03/06/54 a 04/09/54

Nasceu em Brotas (SP), no dia 21 de março de 1894. Formou-se em 1914 pela Escola de Farmácia de Ouro Preto (MG) e, em 1918, pela Faculdade Nacional de Medicina no Rio de Janeiro. Iniciou a carreira de médico sanitarista em 1919, ao se tornar inspetor sanitário rural do Departamento Nacional de Saúde Pública. Durante o segundo governo de Getúlio Vargas, ocorreu o desmembramento do Ministério da Saúde, até então vinculado à pasta da Educação. Pinotti foi ministro da Saúde em dois momentos distintos. Na primeira oportunidade, foi indicado por Vargas. Em seu discurso de posse, enfatizou a necessidade da criação da Escola de Saúde Pública. Na gestão do presidente João Café Filho, que assumiu a presidência após o suicídio de Vargas, Pinotti permaneceu no cargo até setembro de 1954. Anos mais tarde, Mário Pinotti foi convidado, novamente, para ser ministro da Saúde, em substituição a Maurício de Medeiros, em 03 de julho de 1958. Foi ainda indicado para o Prêmio Nobel de Medicina como médico sanitarista. Na segunda vez como ministro da Saúde, de 1958 a 1960, foi substituído por Pedro Paulo Penido.

Miguel Couto Filho

Miguel Couto Filho

22/12/53 a 02/06/54

Nasceu no Rio de Janeiro, em 08 de maio de 1900. Diplomou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Rio de Janeiro, em 1921. Como deputado federal, apresentou diversos projetos sobre assistência médico-social, voltados às populações rurais, além de presidir a Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados. Foi um dos principais defensores da criação do Ministério da Saúde como pasta autônoma, desvinculada do Ministério da Educação. Reelegeu-se em 1950 e em 1953 interrompeu o mandato para assumir a pasta da Saúde. Como primeiro titular do novo ministério, ocupou o cargo até junho de 1954. Beneficiar o setor de saúde pública foi o principal objetivo de sua administração, ao criar postos e unidades completos para o serviço médico itinerante.

Antônio Balbino de Carvalho Filho

Antônio Balbino de Carvalho Filho

06/08/53 a 22/12/53

Nasceu em Barreiras (BA), no dia 22 de abril de 1912. Formou-se em Direito em 1932. Como professor, lecionou Sociologia e Lógica no curso pré-médico da Faculdade de Medicina da Bahia. Atendendo a uma sugestão do presidente Eurico Gaspar Dutra, em 1946, Balbino transferiu-se para o PSD, elegendo-se deputado estadual, em janeiro de 1947, e deputado federal em 1950. Nomeado ministro da Educação, em 25 de junho de 1953, Balbino substituiu seu conterrâneo Ernesto Simões Filho, recebendo o cargo das mãos de outro baiano, o ministro interino Péricles Madureira de Pinho. Na época, o Ministério da Educação e Saúde era desdobrado em Ministério da Educação e Cultura e Ministério da Saúde. De agosto a dezembro de 1953, Balbino ocupou interinamente a chefia do Ministério da Saúde, ao mesmo tempo em que chefiou o MEC. Após isso, transferiu a pasta da Saúde ao titular Miguel Couto Filho.

registrado em:
Fim do conteúdo da página