Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > 1964 - 1961
Início do conteúdo da página

1964 a 1961

Publicado: Segunda, 01 de Dezembro de 2014, 14h29 | Acessos: 1598
Vasco Tristão Leitão da Cunha

Vasco Tristão Leitão da Cunha

06/04/64 a 14/04/64

Nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 02 de setembro de 1903. Cursou Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, pela qual se bacharelou em 1925. Dois anos depois, ingressou na carreira diplomática por meio de concurso público. Em novembro de 1961, as relações diplomáticas do Brasil com a União Soviética, rompidas desde 1947, foram restabelecidas. Leitão da Cunha foi nomeado o primeiro embaixador brasileiro em Moscou após a reaproximação, sendo enviado àquele país em abril de 1962. Convocado pelo governo, Leitão da Cunha voltou ao Brasil, no dia 5 de março. Foi convidado pelo presidente da Câmara Federal, Ranieri Mazzilli, que fora empossado interinamente na Presidência da República, para assumir o Ministério das Relações Exteriores. Tomou posse no dia 6 de abril, passando a responder também pela pasta da Saúde, onde ficou até o dia 14.

Wilson Fadul

Wilson Fadul

17/06/63 a 05/04/64

Nasceu em Valença (RJ), no dia 04 de fevereiro de 1920. Em 1936, fez o curso pré-médico no antigo Colégio Universitário do Rio de Janeiro. Em 1945, diplomou-se pela Faculdade Fluminense de Medicina, em Niterói. Durante o governo de João Goulart, licenciou-se da Câmara dos Deputados, em junho de 1963, para assumir o Ministério da Saúde, no lugar de Paulo Pinheiro Chagas. Em sua gestão, realizou uma pesquisa sobre a indústria farmacêutica no Brasil, concluindo que o índice de desnacionalização no setor era de cerca de 95%. Em dezembro de 1963, por iniciativa de Fadul, realizou-se a III Conferência Nacional de Saúde, na Academia Nacional de Medicina, no Rio de Janeiro, com o objetivo de fixar as bases de uma política nacional de saúde. Consumado o movimento político-militar de 31 de março de 1964, Fadul ocupou o cargo de ministro da Saúde até abril do mesmo ano, quando foi substituído por Vasco Tristão Leitão da Cunha.

Paulo Pinheiro Chagas

Paulo Pinheiro Chagas

19/03/63 a 16/06/63

Nasceu em Oliveira (MG), em 1º de setembro de 1906. Diplomou-se em 1930, na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Quando era deputado federal, em 1963, foi nomeado ministro da Saúde, em substituição a Eliseu Paglioli. Permaneceu no cargo até julho de 1963, ano em que Wilson Fadul passou a ocupar o posto. Além disso, participou como vice-presidente da Reunião dos ministros da Saúde em Genebra, na Suíça, e como chefe da delegação brasileira da Sessão Anual da Organização Mundial da Saúde (OMS). Reassumiu em seguida o mandato de deputado federal.

Eliseu Paglioli

Eliseu Paglioli

18/09/62 a 18/03/63

Nasceu em Caxias do Sul (RS), no dia 28 de dezembro de 1898. Diplomou-se pela Faculdade de Medicina de Porto Alegre e conquistou, posteriormente, a livre-docência em anatomia, obstetrícia, clínica propedêutica e cirúrgica e pediatria cirúrgica. Foi Prefeito de Porto Alegre, de janeiro a novembro de 1951. Em setembro de 1962, foi nomeado ministro da Saúde do governo parlamentarista de João Goulart e exerceu a função até janeiro do ano seguinte.

Manoel Cordeiro Villaça

Manoel Cordeiro Villaça

20/06/62 a 30/08/62

Nasceu no Rio Grande do Norte, em 1915. Formou-se pela Escola de Medicina da Universidade do Recife. Cursou Administração, Puericultura, Alimentação, Fisiologia e Dietética no Ministério da Saúde, e o Curso Integral da Infância, em Paris, França. Foi presidente do Conselho Nacional de Saúde e membro do Conselho Diretor da Fundação Serviço Estadual de Serviço Público, entre outros cargos de destaque. No governo de João Goulart, foi ministro da Saúde de junho a agosto de 1962, na vigência do governo parlamentarista.

Estácio Gonçalves Souto Maior

Estácio Gonçalves Souto Maior

23/08/61 a 19/06/62

Nasceu em Bom Jardim (PE), no dia 30 de julho de 1913. Formou-se em 1935, pela Faculdade de Medicina de Pernambuco. Iniciou suas atividades profissionais no interior do estado e no pleito de outubro de 1954 elegeu-se deputado federal. Interrompeu o mandato em setembro de 1961, quando foi nomeado ministro da Saúde do governo de João Goulart, em substituição a Edward Cattete Pinheiro. Em novembro de 1961, foi favorável à Emenda Constitucional n.º 5, que ampliou a participação dos municípios na renda tributária nacional. Esteve à frente da pasta até junho de 1962, quando transferiu a titularidade a Manuel Cordeiro Vilaça, retornou à Câmara e liberou-se para disputar novo mandato.

Edward Catete Pinheiro

Edward Cattete Pinheiro

03/02/61 a 22/08/61

Nasceu em Monte Alegre (PA), no dia 27 de fevereiro de 1912. Como ministro da Saúde do governo Jânio Quadros, incentivou as campanhas de vacinação contra a poliomielite. Em julho de 1961, recebeu a visita de Albert Sabin, devido ao sucesso das experiências realizadas no Rio de Janeiro, quando já se cogitava o lançamento da campanha de vacinação em nível nacional. Além disso, foi senador, nos períodos de 1963 a 1970 e de 1971 a 1978.

Armando Ribeiro Falcão

Armando Ribeiro Falcão

01/01/61 a 02/02/61

Nasceu em Fortaleza (CE), no dia 11 de novembro de 1919. Em 1937, concluiu o curso de humanidades no Instituto São Luiz, em Fortaleza. Iniciou sua carreira política como deputado federal pelo Ceará, na legenda do Partido Social Democrático (PSD), em outubro de 1950. Em 1960, coordenou a assistência às vítimas das inundações na Região Nordeste. No dia 1º de janeiro de 1961, assumiu interinamente o Ministério da Saúde, em substituição a Pedro Paulo Penido. Nesse período, recebeu do presidente um cartório de registro de títulos, no Rio de Janeiro. Em 31 de janeiro, o presidente eleito Jânio Quadros foi empossado e Armando Falcão deixou o ministério, reassumindo a vaga na Câmara dos Deputados.

registrado em:
Fim do conteúdo da página