Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Dicas em Saúde > Ataque cardíaco (infarto)
Início do conteúdo da página

Soluço

Publicado: Segunda, 28 de Setembro de 2015, 15h00 | Acessos: 4860

O soluço é produzido pela contração involuntária do diafragma (músculo que separa o peito do abdome), seguido pelo fechamento da glote (abertura da laringe), durante a inspiração. As crises têm duração variável e podem durar minutos, horas ou até semanas. Na maioria das vezes o soluço melhora espontaneamente em poucos minutos. No entanto, as crises podem ser sintomas de inúmeras doenças, de ordem respiratória, digestiva, genital, vascular, psicológica, metabólica ou outras relacionadas ao sistema nervoso central. O soluço pode ter causas psicológicas como ansiedade, tristeza, agonia e depressão Desta forma, o médico deverá atuar com o objetivo de tratar esses problemas, o que irá resultar no fim do soluço.

O soluço pode ser dividido em três categorias baseadas em sua duração:

- episódicos: que podem ser causados pela hiperdistensão gástrica ("comer demais"), pela ingestão de bebidas gasosas e aerofagia (mascar chicletes, tabagismo) e insuflação do estômago durante endoscopia;
- persistentes;
- intratáveis: que podem levar a efeitos adversos com desfechos graves como desnutrição, perda de peso, insônia, fadiga, estresse mental e prejuízo da qualidade de vida.

Diagnóstico e tratamento:

Soluços episódicos, por serem habituais e por cessarem espontaneamente, não necessitam de avaliação. No caso de soluços persistentes por mais de 48 horas, há necessidade de investigação de alguma causa que se apoia em doenças clínicas. A investigação se inicia por uma entrevista detalhada com o profissional de saúde e por exames complementares, como os de sangue, ressonância magnética, broncoscopia, endoscopia, teste de função pulmonar, entre outros.

Acabando com uma crise de soluços – soluções caseiras que funcionam!

- prender a respiração: prender a respiração eleva a quantidade de moléculas de gás carbônico (CO2) na corrente sanguínea, o que faz com que o cérebro atue no sentido de contrair o diafragma;
- beber água gelada: a ingestão de água gelada atua no sentido de estimular, pela mudança de temperatura, o nervo vago (atua na secreção de líquidos digestivos) que também age sobre o diafragma;
- levar um susto: o susto provoca um alerta que libera, na corrente sanguínea, um composto químico chamado catecolamina, que é capaz de regular o funcionamento do nervo frênico (responsável pelo processo de inspiração do diafragma).

Contudo, se tudo isso não der certo e for diagnosticado um caso de soluço persistente ou intratável, algumas drogas podem ser utilizadas.


IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Dica elaborada em março de 2.013 e revisada em abril de 2.018.

Fontes:
Faculdade de Medicina da UFMG
Hospital Israelita Albert Einstein

registrado em:
Fim do conteúdo da página