Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Tétano

Publicado: Terça, 31 de Março de 2020, 09h49 | Acessos: 4988

É uma doença infecciosa grave, não contagiosa, causada por uma toxina produzida pela bactéria Clostridium tetani. Essa bactéria é encontrada nas fezes de animais e de seres humanos, na terra, nas plantas, em objetos e pode contaminar as pessoas que tenham lesões na pele (feridas, arranhaduras, cortes, mordidas de animais etc.), pelas quais o microrganismo possa penetrar, provocando o tétano acidental.

Sintomas:

A toxina produzida pela bactéria ataca, principalmente, o sistema nervoso central, provocando:

- rigidez muscular em todo o corpo, mas principalmente no pescoço;
- dificuldade para abrir a boca e para engolir;
- riso
convulsivo, involuntário,produzido por espasmos dos músculos da face.

A contratura muscular pode atingir os músculos respiratórios e pôr em risco a vida da pessoa.

Tratamento:

O tétano é uma doença grave e às vezes fatal, caso a pessoa não seja atendida prontamente num hospital. No tratamento, são utilizados antibióticos, relaxantes musculares, sedativos, imunoglobulina antitetânica e, na falta dela, soro antitetânico.

Prevenção:

O tétano é uma doença que pode ser evitada desde que alguns cuidados sejam observados:

- manter o esquema de vacinação em dia. Crianças com até cinco anos de idade devem receber a vacina tríplice contra tétano e, a partir dessa idade, a vacina dupla (contra difteria e tétano). Muitos adultos jamais tomaram a vacina dupla e, mesmo os que já tomaram, costumam esquecer-se das doses de reforço, que devem ser tomadas a cada dez anos para garantir a proteção contra a doença e podem ser obtidas em qualquer posto de saúde;
- limpar cuidadosamente com água e sabão todos os ferimentos para evitar a penetração da bactéria;
- não são apenas pregos e cercas enferrujadas que podem provocar a doença. A bactéria do tétano pode ser encontrada nos mais diversos ambientes.

Tétano neonatal 

É uma doença infecciosa grave, não contagiosa, que acomete o recém-nascido nos primeiros 28 dias de vida, tendo como sintoma inicial dificuldade de sucção, irritabilidade e choro constante. É causada pela mesma bactéria que produz o tétano acidental e pode ser evitada pela vacinação adequada da mãe. Os filhos de mães vacinadas nos últimos cinco anos com três doses da vacina apresentam imunidade até os dois meses de idade.

Fatores de risco para o tétano neonatal:

- baixas coberturas da vacina antitetânica nas mulheres em idade fértil;
- partos domiciliares assistidos por parteiras tradicionais ou outros sem capacitação e sem instrumentos adequados;
- ausência ou baixa qualidade do acompanhamento pré-natal;
- alta hospitalar precoce e acompanhamento deficiente do recém-nascido e da puérpera;
- hábitos culturais associados a cuidados inadequados de higiene com o coto umbilical e com o recém-nascido;
- baixos níveis de escolaridade, socioeconômicos ou de educação em saúde das mães.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Dica elaborada em dezembro de 2019

Fontes:

Dr. Dráuzio Varella

Ministério da Saúde

Ministério da Saúde 2

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página