Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2013 > IS nº 01 > PLANTAS MEDICINAIS
Início do conteúdo da página

AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

Publicado: Terça, 12 de Maio de 2015, 13h48 | Acessos: 2033

SAÚDE PÚBLICA; MATERNIDADE

002
FAYA ROBLES, Alfonsina. As agentes comunitárias de saúde no Brasil contemporâneo: a "polícia amiga" das mães pobres. Sexualidad, Salud y Sociedad: Revista Latinoamericana, Rio de Janeiro, n.12, p. 92-126, dic. 2012. Disponível em Scielo

Este artigo pretende mostrar como o sistema de saúde pública encontra em relações horizontais entre mulheres pobres da cidade de Recife, Pernambuco, um meio de regulação sanitária. As Agentes Comunitárias de Saúde (ACS) levam adiante o controle sanitário das famílias pobres e, em particular, da relação mãe-filho, a qual é vivida geralmente nas redes femininas de apoio. As ACS atuam como um "policial" da maternidade, com o propósito de alcançar objetivos sanitários, como a redução da mortalidade infantil. As ACS trabalham no mesmo bairro onde residem, são também mulheres de setores populares e fazem parte das redes de apoio feminino que devem controlar. A posição de ACS se constrói, então, como uma "polícia amiga", em que o controle se baseia nas relações horizontais. Tal horizontalidade permite também o fenômeno contrário, em função do qual a ACS é controlada pelos habitantes do bairro.

Fim do conteúdo da página