Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2013 > IS nº 02 > CONDIÇÕES DE SAÚDE
Início do conteúdo da página

ALEITAMENTO MATERNO

Publicado: Terça, 12 de Maio de 2015, 14h56 | Acessos: 1924

MORTALIDADE NEONATAL

033
BOCCOLINI, Cristiano Siqueira;CARVALHO, Márcia Lázaro de;OLIVEIRA, Maria Inês Couto de; PEREZ-ESCAMILLA, Rafael. A amamentação na primeira hora de vida e mortalidade neonatal.  Jornal de Pediatria (Rio de Janeiro), Porto Alegre, v. 89, n. 2, p. 131-136, mar./abr. 2013. Disponível em Scielo

OBJETIVO:Analisar a correlação entre o percentual de amamentação na primeira hora de vida e as taxas de mortalidade neonatal.MÉTODOS:Foram utilizados dados secundários de 67 países obtidos das pesquisas realizadas com a metodologia doDemographic and Health Surveys. Inicialmente, para a análise dos dados, foram empregadas a Correlação de Spearman (IC 95%) e a análise gráfica com modificação de Kernel, seguidas de regressão de Poisson Binomial Negativa, ajustando para possíveis fatores de confundimento.RESULTADOS:O percentual de aleitamento materno na primeira hora de vida esteve negativamente associado com as taxas de mortalidade neonatal (Rho = -0,245, p = 0,046), e esta correlação foi mais forte entre os países com mortalidade neonatal superior a 29 mortes/1.000 nascidos vivos (Rho = -0,327, p = 0,048). Os países com os menores tercis de aleitamento materno na primeira hora de vida tiveram uma taxa 24% maior de mortalidade neonatal (razão de taxa = 1,24, IC 95% = 1,07-1,44), mesmo ajustando para fatores de confundimento.CONCLUSÃO:O efeito protetor da amamentação na primeira hora de vida sobre a mortalidade neonatal encontrado nesse estudo ecológico é consistente com o de estudos observacionais, e aponta para a importância de se adotar a amamentação na primeira hora de vida como prática de atenção neonatal.

Fim do conteúdo da página