Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2013 > IS nº 04 > ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Início do conteúdo da página

ENFERMAGEM

Publicado: Terça, 12 de Maio de 2015, 16h51 | Acessos: 2089

 

EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM; EDUCAÇÃO SUPERIOR

102
TEIXEIRA, Elizabeth et al. Panorama dos cursos de Graduação em Enfermagem no Brasil na década das Diretrizes Curriculares Nacionais. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília,  v. 66, n. spe, p. 102-110, set. 2013. Disponível em Scielo

O estudo teve o objetivo de construir um panorama dos cursos de Graduação em Enfermagem no Brasil, na década das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem, período 2001 a 2011. Trata-se de pesquisa exploratória, descritiva, com base em dados do e-MEC, Censo da Educação Superior, ENADE. Os resultados evidenciaram: privatização do ensino de Graduação em Enfermagem; excesso de oferta de cursos e vagas diurnas e noturnas; acentuada expansão do número de vagas de ensino à distância, não atendendo a critérios mínimos de qualidade avaliados pelo ENADE; dentre outros aspectos. Recomenda-se a definição de estratégias para regulação da expansão já instalada, além da revisão dos indicadores do Formulário Único do INEP, atendendo especificidades da Enfermagem, particularmente quanto a número de vagas, integração com o sistema local e regional de saúde e o SUS, ensino na área de saúde, atividades práticas de ensino, regime de trabalho e experiência profissional do corpo docente do curso. Recomenda-se, ainda, a intervenção imediata do MEC nos pólos de Educação à Distância, suspendendo a formação de enfermeiros nessa modalidade. 


OCUPAÇÕES EM SAÚDE; 
CUIDADO

103
PIRES, Denise Elvira Pires de. Transformações necessárias para o avanço da Enfermagem como ciência do cuidar. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 66, n. spe, p. 39-44, set. 2013. Disponível em Scielo

Objetivou-se refletir acerca dos desafios para fortalecer a Enfermagem enquanto ciência do cuidar. Sustenta-se na teoria sociológica articulando três abordagens: do materialismo histórico-dialético sobre o processo de trabalho em saúde e enfermagem; da sociologia das profissões em uma perspectiva crítica; e da filosofia da ciência. A argumentação está organizada considerando aspectos da Enfermagem enquanto disciplina, trabalho e profissão da saúde. Sustenta que a produção do conhecimento deve ser orientada pela finalidade do trabalho de cuidar de seres humanos com carências de saúde e pela defesa das condições necessárias para um fazer seguro e responsável. Conclui que, para fortalecer a Enfermagem, é necessário produzir conhecimentos que fundamentem as ações de cuidado, assim como as lutas políticas em defesa da profissão, do direito universal à saúde e a cuidados seguros e de qualidade.

Fim do conteúdo da página