Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2015 > IS nº 01 > MORTALIDADE MATERNA
Início do conteúdo da página

DESCENTRALIZAÇÃO

Publicado: Segunda, 11 de Maio de 2015, 17h04 | Acessos: 1851

SISTEMAS DE SAÚDE; GOVERNO LOCAL; EVIDÊNCIAS EM SAÚDE

006
SILVA, Silvio Fernandes da; SOUZA, Nathan Mendes; BARRETO, Jorge Otávio Maia. Fronteiras da autonomia da gestão local de saúde: inovação, criatividade e tomada de decisão informada por evidências. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 11, p. 4427-4438, nov. 2014. Disponível em Scielo

O propósito deste artigo foi identificar as fronteiras da autonomia da gestão municipal no contexto do pacto federativo do Sistema Único de Saúde brasileiro e a importância e possibilidade de fomentar inovação, criatividade e tomada de decisão, informada pelas melhores evidências pelos governos locais. Metodologicamente partimos de questões que propiciaram diálogo com a literatura específica, visando identificar a influência das políticas com formulação centralizada nos espaços de autonomia local para, em seguida, identificar estratégias de incentivo à inovação, criatividade e uso sistemático da evidência de pesquisas na implementação de políticas em saúde. Constatamos uma redução gradativa da autonomia decisória pelo maior comprometimento financeiro dos municípios, decorrente das novas responsabilidades assumidas, bem como a possibilidade de reversão dessa tendência no contexto mais recente. Analisamos também determinantes e desafios para a difusão de práticas inovadoras e apresentamos experiências nacionais e internacionais com essa finalidade. Concluímos ser possível tornar mais efetivo o processo decisório local, desde que se consolidem iniciativas que estimulem essa cultura e a formulação e implementação de políticas informadas por evidências.

Fim do conteúdo da página