Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2016 > IS nº 01 > ÉTICA EM PESQUISA
Início do conteúdo da página

POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE

Publicado: Terça, 01 de Março de 2016, 12h05 | Acessos: 1690

DOENÇAS CRÔNICAS; AVALIAÇÃO EM SAÚDE; SISTEMA DE SAÚDE; MUNICÍPIOS

016
RAUPP, Luciane Marques et al. Doenças crônicas e trajetórias assistenciais: avaliação do sistema de saúde de pequenos municípios. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, p. 615-634, abr./jun. 2015. Disponível em: Scielo

Este trabalho apresenta os resultados da análise qualitativa de um estudo que visou identificar e avaliar a atenção às condições crônicas mais prevalentes na região de cobertura da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde/RS. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 12 pessoas com Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), descrevendo suas trajetórias assistenciais. Foram contatados os serviços de atenção básica (AB) de seis municípios. Os participantes foram selecionados segundo critérios populacionais e de cobertura de Estratégia de Saúde da Família (ESF). As entrevistas foram analisadas pelo método de Análise de Conteúdo (BARDIN, 2012), através de duas categorias. Na primeira, "Acesso ao sistema de saúde", foram abordados temas relativos às formas de entrada dos usuários no sistema e suas trajetórias assistenciais, dificuldades de acesso à atenção em saúde e a transporte, urgência e medicações. Na segunda categoria, "A satisfação dos usuários com os serviços de saúde", foram incluídos dados relacionados à percepção da atenção prestada na AB, à avaliação da atenção recebida e ao tempo entre diagnóstico e tratamento. A análise das trajetórias assistenciais sugere uma baixa efetividade da AB, tanto na prevenção quanto no diagnóstico das DCNT, demonstrando a inexistência de linhas de cuidado.

Fim do conteúdo da página