Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2018 > IS nº 04 > CUIDADOS DE ENFERMAGEM
Início do conteúdo da página

CUSTOS DOS CUIDADOS DE SAÚDE

Publicado: Quinta, 11 de Outubro de 2018, 10h37 | Acessos: 149

MEDICINA DE ÁREAS REMOTAS; PLANOS E PROGRAMAS DE SAÚDE

099
SILVA, Everton Nunes da et al. O custo da provisão de médicos para áreas remotas e vulneráveis: Programa Mais Médicos no Brasil. Revista Panamericana de Salud Pública [online]. 2018, v. 42. Disponível em Scielo

Objetivo: Avaliar o Programa Mais Médicos (PMM) no Brasil estimando o aumento proporcional do número de médicos nos municípios participantes e os custos do programa, estratificado pelo componente de custo e fonte de financiamento. Métodos: Os dados oficiais da edição de Demografia médica no Brasil de 2013 foram usados para estimar o número de médicos anterior ao PMM. O número de médicos ao final do quarto ciclo de recrutamento do PMM (julho de 2014) foi fornecido pelo Ministério da Saúde. Os componentes de custo foram identificados e calculados de acordo com a legislação e as diretrizes do PMM. Os municípios participantes foram selecionados segundo quatro critérios relacionados à vulnerabilidade. Resultados: O PMM proveu um adicional de 14.462 médicos para áreas remotas bastante vulneráveis em 3.785 municípios (68% do total) e 34 distritos sanitários especiais indígenas. Houve aumento maior do número de médicos nas regiões mais pobres (Norte e Nordeste). O custo anual estimado de US$ 1,1 bilhão cobriu provisões médicas, educação continuada e supervisão/mentoria. O financiamento foi em grande parte centralizado ao nível federal (92,6%). Conclusão: Considera-se que o custo do PMM seja relativamente moderado em relação aos benefícios em potencial à saúde da população. O aumento maior no número de médicos para atender a população mais pobre e vulnerável alcançou a meta de corrigir a má distribuição de profissionais da saúde. A experiência do PMM no Brasil pode subsidiar o debate visando reduzir a escassez de médicos.

Fim do conteúdo da página