Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2019 > IS nº 03 > ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA
Início do conteúdo da página

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

Publicado: Quinta, 11 de Julho de 2019, 15h14 | Acessos: 94

ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE; IDOSO; DOENÇA CRÔNICA

065
FERREIRA JÚNIOR, Edimar; BATISTA, Almária Mariz. Atenção farmacêutica a idosos portadores de doenças crônicas no âmbito da atenção primária à saúde. Infarma: Ciências Farmacêuticas, Brasília, v. 30, n. 2, p. 95-101, 2018. Disponível em Conselho Federal de Farmácia

Atenção Farmacêutica constitui a prática farmacêutica desenvolvida no contexto da Assistência Farmacêutica, compreendendo atitudes, valores éticos, comportamentos, habilidades, compromissos e co-responsabilidades na prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde, de forma integrada à equipe de saúde. Tem foco no usuário do medicamento, na educação em saúde, na orientação farmacêutica, no registro sistemático de atividades, mensuração e avaliação de resultados, na busca da resposta satisfatória à terapêutica farmacológica. O presente estudo teve como objetivo revisar a literatura pertinente à Atenção Farmacêutica no contexto de idosos portadores de doenças crônicas atendidos pela atenção primária à saúde. Trata-se de revisão bibliográfica realizada nas bases de dados NCBI (via Pubmed), Web of Science, Scopus e LILACS. Sem a atuação do farmacêutico, o medicamento e o cuidado relacionado ao seu uso apresentam-se desordenados e desqualificados no âmbito do SUS. Há problemas significativos em todos os pontos envolvendo a farmacoterapia, como adesão, polifarmacoterapia, automedicação, problemas relacionados a medicamentos e interações medicamentosas. A Atenção Farmacêutica no contexto de problemas de saúde em idosos é essencial para o fortalecimento da adesão ao tratamento, redução dos gastos, promoção do uso racional dos medicamentos, redução dos problemas relacionados aos medicamentos, informações sobre a doença e seus agravos.

DOENÇA CRÔNICA; AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS E PROJETOS DE SAÚDE; POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

066
ALMEIDA, Aléssio Tony Cavalcanti de; SÁ, Edvaldo Batista de; VIEIRA, Fabiola Sulpino; BENEVIDES, Rodrigo Pucci de Sá e. Impacto do Programa Farmácia Popular do Brasil sobre a saúde de pacientes crônicos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 53, 20, 2019. Disponível em Scielo

OBJETIVO: Avaliar o impacto da ampliação do acesso a medicamentos pelo Programa Farmácia Popular do Brasil sobre indicadores de internações hospitalares e óbitos por hipertensão arterial e diabetes. MÉTODOS: Para estimar o impacto do Programa Farmácia Popular do Brasil, foi usado o modelo estatístico de diferenças em diferenças com efeito fixo, considerando: as vertentes rede própria e rede conveniada; o tempo de exposição do município ao programa; a densidade intramunicipal, medida pelo número de estabelecimentos credenciados; e o transbordamento espacial da cobertura em pacientes de municípios não participantes. Foram utilizados dados de 5.566 municípios, referentes ao período de 2003 a 2016, incluindo: i) registros administrativos do Programa Farmácia Popular do Brasil e do Sistema de Informações sobre Mortalidade e Sistema de Informações Hospitalares; ii) outros dados de saúde administrados pelo DATASUS; iii) dados sociodemográficos produzidos pelo IBGE; e iv) dados da Relação Anual de Informações Sociais. RESULTADOS: A ampliação do acesso aos medicamentos para tratamento da hipertensão e da diabetes resultou em redução expressiva e estatisticamente significativa (p < 0,05) do quantitativo de internações hospitalares e óbitos por essas doenças, em uma taxa média de 27,6% e 8,0% ao ano, respectivamente. Os impactos observados foram induzidos pela rede conveniada, sendo relevante para o efeito a densidade de estabelecimentos por 100 mil habitantes e, sobretudo, o tempo de exposição do município ao programa. Verificaram-se, ainda, evidências de transbordamento espacial e manutenção dos impactos sobre diferentes grupos etários, com destaque para os idosos. CONCLUSÕES: A estratégia de ampliação do acesso a medicamentos por meio do Programa Farmácia Popular do Brasil mostrou-se efetiva para a redução de internações e óbitos por hipertensão arterial e diabetes no Brasil no período investigado. Compreender melhor os impactos do programa é relevante para aperfeiçoar a política de assistência farmacêutica, de modo a assegurar o acesso a tratamentos com boa relação custo-efetividade.

 

Fim do conteúdo da página