Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2020 > IS nº 04 > ARMAZENAMENTO DE MEDICAMENTOS
Início do conteúdo da página

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Publicado: Quinta, 15 de Outubro de 2020, 12h25 | Acessos: 33

SAÚDE PÚBLICA; DENGUE; VÍRUS ZIKA; VÍRUS CHIKUNGUNYA

 

097
MOL, Marcos Paulo Gomes; QUEIROZ, Josiane T. Matos; GOMES, Júlia; HELLER, Léo. Gestão adequada de resíduos sólidos como fator de proteção na ocorrência da dengue. Revista Panamericana de Salud Pública, Washington, v. 44, e22, 2020. Disponível em Scielo

Objetivo. Verificar a existência de associação de indicadores de gestão de resíduos sólidos e socioeconômicos municipais com índices de incidência de dengue, Zika e Chikungunya nos municípios do estado brasileiro de Minas Gerais. Métodos. Este estudo de caráter exploratório, quantitativo e transversal abrangeu os 853 municípios do estado de Minas Gerais. Todos os dados utilizados foram secundários, coletados e agrupados por regionais de planejamento. Como variáveis independentes, foram consideradas a cobertura de coleta de resíduos sólidos urbanos, cobertura de coleta seletiva e massa de resíduos sólidos urbanos, além de um indicador da qualidade da destinação final de resídulos, índices de desenvolvimento humano municipal e de Gini, renda mensal per capita e porcentagem de vulneráveis à pobreza. Os fatores potencialmente associados aos desfechos – incidências municipais de dengue, Chikungunya e Zika – foram selecionados inicialmente através de análises univariadas. Posteriormente, os modelos de regressão linear para as incidências de dengue, Chikungunya ou Zika foram gerados considerando os preditores selecionados pela análise univariada. Resultados. Não foi observada associação entre gestão de resíduos sólidos e incidência de Chikungunya e Zika. Por sua vez, a incidência de dengue associou-se à gestão de resíduos sólidos e apresentou relação inversa significativa com o percentual de vulneráveis à pobreza. Houve também associação direta o índice de Gini, sugerindo que quanto maiores os registros de incidência de dengue de 2007 a 2016, maiores os valores de Gini dos municípios – ou seja, maior a desigualdade social. A cobertura da coleta seletiva apresentou relação inversa e significativa com os casos de dengue, sugerindo que quanto menor a cobertura da coleta de seletiva, maiores foram os casos registrados de dengue. Conclusões. A gestão de resíduos sólidos pode influenciar os casos de dengue e, por isso, deve ser considerada nas ações de saúde pública.

Fim do conteúdo da página