Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Edições 2020 > IS nº 04 > NEOPLASIAS DO COLO DO ÚTERO
Início do conteúdo da página

NEOPLASIAS DO COLO DO ÚTERO

Publicado: Quinta, 15 de Outubro de 2020, 12h55 | Acessos: 37

ACESSO AOS SERVIÇOS DE SAÚDE; INIQUIDADE SOCIAL; INDICADORES DE SAÚDE

107
SILVA, Keila Silene de Brito e et al. Prevenção do câncer do colo do útero: avanços para quem? Um retrato da iniquidade em estado da Região Nordeste. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 20, n. 2, p. 633-641, abr./jun. 2020. Disponível em Scielo

Objetivos: analisar o acesso ao exame preventivo para o câncer de colo do útero em Pernambuco, entre 2002 e 2015, por meio da cobertura do citopatológico. Métodos: foram utilizados dados de domínio público do Departamento de Informática do SUS, processados no Tabnet e Excel® e calculados os coeficientes de inclinação de tendência temporal, por meio de técnicas de regressão simples. Por fim, foram plotados em mapas temáticos de cobertura de exames citopatológicos no aplicativo Terraview 4.2.2. Resultados: Pernambuco apresentou aumento na tendência de cobertura ao exame para todas as regiões de saúde até 2010. A partir deste ano, apresentou uma tendência de estabilização e diminuição. Ao comparar a cobertura no primeiro e no último ano, em 2002 42,7% dos municípios estavam com cobertura abaixo de 0.2 e em 2015 o cenário muda para 41,1% de municípios com cobertura acima 0.6. Destaca-se que neste mesmo ano 13,5% dos municípios ainda apresentavam uma cobertura baixa e muito baixa (<0.4). Tendências temporais de crescimento e decréscimo tiveram forte significância. Conclusões: todas as regiões de saúde apresentaram cobertura inferior ao preconizado, em algum período ou em todos, mesmo com a tendência estadual de crescimento, demonstrando uma característica heterogênea e desigual.

Fim do conteúdo da página