1.3.5 Tuberculose

 
O grupo de trabalho definiu como prioridades: estudo dos indicadores de serviços de saúde para a avaliação do controle da tuberculose; estudo de parâmetros da dinâmica da tuberculose e sua aplicação na vigilância epidemiológica; distribuição espacial e caracterização de áreas de risco para tubérculo; estudo de contatos de tuberculose pulmonar e mecanismos de transmissão e medidas de controle
 

Em levantamento

O Especialista convidado para discutir as lacunas de P&D&I na área, apontou como necessidades imediatas o estudo de novas drogas que possibilitem a redução do tempo de tratamento e o aprofundamento da investigação sobre a associação entre TB e HIV/Aids.

A Área técnica do Ministério da Saúde apresentou como prioridades para a área:

  1. Realização de inquérito nacional de resistência a drogas.
  2. Avaliação e interpretação de indicadores epidemiológicos (resultados de tratamento como indicadores de morbidade e mortalidade).
  3. Avaliação dos possíveis fatores associados ao abandono de tratamento.
  4. Determinação das taxas de infecção por HIV nos pacientes com tuberculose .
  5. Avaliação da qualidade do diagnóstico laboratorial usado para detecção de casos.
  6. Avaliação da qualidade e eficiência do sistema de informação.
  7. Prevalência de TB em sintomáticos respiratórios atendidos em diferentes Unidades de Saúde.
  8. Aplicabilidade de diferentes escores clínicos - radiológicos no diagnóstico de TB pulmonar em Pediatria.
  9. Estimar o risco de infecção anual de TB em diferentes regiões do país.
  10. Avaliação da assistência ao paciente com tuberculose para conhecer as causas do abandono do tratamento de tuberculose, ligadas ao serviço de saúde, em áreas urbanas. Estudo de caso.
  11. Validar a informação de morte por tuberculose no país e conhecer o perfil do paciente que evoluiu para o óbito.
  12. Efetividade do tratamento da tuberculose em pacientes com co-morbidade.
  13. Quimioprofilaxia da tuberculose em pessoas vivendo com HIV/Aids.
  14. Motivos de internação do paciente com tuberculose e perfil do doente internado.
  15. Aplicabilidade de diferentes escores clínico s radiológicos no diagnóstico de TB pulmonar em paciente atendido em diferentes níveis de complexidade e populações especiais.
  16. Fatores de risco para o abandono do tratamento da tuberculose, representativo para o Brasil.
  17. O Coordenador do GT/Tuberculose informou que estão disponíveis para consulta as listas de prioridades de pesquisa elaboradas nas seguintes reuniões conjuntas anteriores:
  • Representantes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, da Rede-TB e do Ministério da Saúde, para elaboração das Diretrizes Brasileiras no Controle de TB (final de 2003).
  • Representantes da Rede-TB, Programa Nacional de TB e DST/AIDS da SVS/MS (final de 2004).

Metodologia

O grupo percorreu todas as etapas previstas na metodologia e adaptou a matriz estratégica para acolher as necessidades de representação da área.Ao final, definiu e hierarquizou as linhas prioritárias de pesquisa.

Definição de Prioridades de Pesquisa em Saúde - Resultados

Linhas Prioritárias

  1. Estudo dos indicadores de serviços de saúde (estrutura, processo e resultado), sociais, antropológicos e econômicos para a avaliação do controle da tuberculose.
  2. Estudo de parâmetros da dinâmica da tuberculose e sua aplicação na vigilância epidemiológica.
  3. Distribuição espacial e caracterização de áreas de risco para tuberculose.
  4. Estudo de contatos de tuberculose pulmonar e mecanismos de transmissão e medidas de controle.
  5. Eficácia e efetividade de novos medicamentos, novos esquemas, e novos regimes terapêuticos e profiláticos para tuberculose.
  6. Validade, confiabilidade e custo efetividade de novos métodos diagnósticos para tuberculose.
  7. Farmacocinética e farmacovigilância da tuberculose.
  8. Impacto epidemiológico do HAART na morbidade e mortalidade por tuberculose em pessoas vivendo com HIV/AIDS.
  9. Eficácia e efetividade de medidas de biosegurança para tuberculose nas unidades de saúde nos diferentes níveis.
  10. Farmacogenética, imunopatogenia e marcadores de infecção, doença, cura e recidiva da tuberculose.
  11. M.tuberculosis : genotipagem, virulência e fatores ecológicos associados.
  12. Repercussões sociais e ocupacionais das seqüelas da tuberculose.
  13. Pesquisa e desenvolvimento de novos métodos diagnósticos, novos vacinas e novos medicamentos para tuberculose.
  14. Eficácia e efetividade de novas vacinas para tuberculose.
 
  Resultados esperados em curto prazo Resultados esperados em médio prazo Resultados esperados em longo prazo
Novos conhecimentos 3 - Distribuição espacial.
4 Estudo de contatos de TB
7- Farmacocinéticia e farmacovigilância 8 Impacto epidemiológico do HAART 11- M.tb; genotipagem.
12 Repercussões sociais e ocupacionais.
13 Pesquisa e desen volvimento de novos métodos diag, vacinas e medicamentos
14 Eficácia e efetividade de novas vacinas
Nov os instrumentos
1- Estudo dos indicadores de serviços de saúde
2 Estudo de parâmetros da dinâmica
5- Eficácia e efetividade de novos medicamentos
6- Validade, confiabilidade e custo-efetividade de novos métodos diagnósticos
10 Farmacogenética, imunopatogenia
5- Eficácia e efetividade de novos medicamentos
6- Validade, confiabilidade e custo-efetividade de novos métodos diagnósticos
10 Farmacogenética, imunopatogenia
 
Avaliação das intervenções, estratégias e políticas
1 Estudo dos indicadores de serviços de saúde 9 Eficácia e efetividade de medidas de biosegurança ; 13 Pesquisa e desen volvimento de novos métodos diag, vacinas e medicamentos
14 Eficácia e efetividade de novas vacinas
 

Recomendações para o edital:

Priorizar projetos: de pequeno e médio porte; interinstitucionais; de grupos emergentes E, para o investimento dos 30% dos recursos do Edital para regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, utilizar a lista de ordem de prioridades de pesquisa.

 
Grupo de Trabalho

 

Afrânio Kritski (Coordenador)

UFRJ- Universidade Federal do Rio de Janeiro

Antonio Ruffino Netto (Relator) USP/Rib.Preto- Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto
Célio Lopes USP/Rib.Preto- Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto
Diógenes Santiago Santos PUC/RS- Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Fernando Fiúza de Mello
SBPT - Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
José Roberto Lapa e Silva UFRJ- Universidade Federal do Rio de Janeiro
José Ueleres Braga

UERJ – Universidade Estadual do Rio de Janeiro

SVS /MS- Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

Joseney Santos
SVS / MS - Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde
Leila de Souza Fonseca UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Margareth M.P.Dalcolmo

SBPT- Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

SVS /MS - Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde