Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas Notícias > Manual do(a) Gestor(a) Municipal do SUS: Diálogos no Cotidiano - publicação é parte de um conjunto de ações para acolher os Gestores Municipais de Saúde que iniciam sua gestão em 2017
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Neste Natal, dê um presente a quem precisa de você para viver: cadastre-se como doador de medula

  • Publicado: Segunda, 17 de Dezembro de 2018, 15h15
  • Última atualização em Segunda, 17 de Dezembro de 2018, 15h28

De 14 a 21 de dezembro é comemorada a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. A data, instituída pela Lei nº 11.930, de 22/4/2.009, visa ao desenvolvimento de atividades de esclarecimento e incentivo à doação de medula óssea e à captação de doadores.

As ações, atividades e campanhas publicitárias devem envolver órgãos públicos e entidades privadas a fim de informar e orientar sobre os procedimentos para o cadastro de doadores e a importância da doação de medula óssea para salvar vidas e sobre o armazenamento de dados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea - REDOME. Fazer com que os doadores cadastrados mantenham seus dados atualizados é um desafio para o REDOME e para qualquer outro registro em todo o mundo. Geralmente, os doadores permanecem de 20 a 25 anos inscritos e devem sempre procurar o registro para informar sobre qualquer alteração de um dado fornecido no momento do cadastro, como telefone, endereço, e-mail etc.

A frase a ser difundida durante a Semana é: “Neste Natal, dê um presente a quem precisa de você para viver: cadastre-se como doador de medula”.

Tecido líquido que ocupa o interior dos ossos, a medula óssea produz os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. O transplante é destinado a pessoas com tumores que podem comprometer a função da medula, como leucemia, com incapacidade de produzir células e com doenças genéticas, como anemia falciforme e talassemia.

Como doar:

Interessados devem procurar primeiro um hemocentro. No local, é realizado um cadastro com os dados pessoais do futuro doador e coletada uma amostra do sangue para a realização da tipagem dos glóbulos brancos (tipagem HLA).

Para encontrar um doador compatível, o médico inscreve as informações de quem precisa do transplante, incluindo o resultado do exame de histocompatibilidade – HLA (exame que identifica as características genéticas de cada indivíduo), no sistema do Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme). Após aprovação da inscrição do paciente, a busca é iniciada imediatamente.

Procedimento:

A doação é feita de três maneiras. A primeira e principal delas ocorre por meio de uma pequena cirurgia, de aproximadamente 90 minutos, em que são realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula; a segunda é a coleta de sangue pela veia, depois da aplicação de medicamento que aumenta o número de células tronco do doador e, a terceira, por meio do sangue coletado logo após o parto.

Fontes:

Governo do Brasil
Instituto Nacional de Câncer: Redome
Ministério da Saúde

registrado em:
Fim do conteúdo da página